Avanço da vacinação no RN faz despencar número de internados e óbitos e escancara o que representou o negacionismo via aplicação em massa de ivermectina em Natal

O prefeito Álvaro Dias alegou, em diversas oportunidades, que ivermerctina protegia contra covid. Médicos locais falaram em proteção pelo mata piolho maior do que vacinas. Deve entrar para a história da tragicomédia potiguar a reunião da associação médica do RN, para anunciar falso estudo que dava conta de proteção pela ivermectina de 75% contra covid. Ou ainda os discursos de médicos na Assembleia e em rádios da cidade, mentindo sobre uma maior eficácia de mata piolho do que de vacinas. Isto com cientistas, agências de saúde do Brasil e de fora atestando justamente o contrário.

O resultado é insofismável. A ivermectina, quando aplicada em massa em pleno processo de reeleição do prefeito, colocou Natal no topo disparado de mortes. A capital representa 24% da população do RN e concentrou durante a operação ivermectina quase metade dos óbitos. A região metropolitana, com Natal em especial, liderou a super lotação nos hospitais.

Agora, com o avanço da vacinação, os casos despencaram no Rio Grande do Norte. Hoje, só há 55% dos leitos para covid ocupados e apenas um óbito foi registrado nas últimas 24 horas.

Não é mera implicância contra remédio ineficaz e uma política pública sem base na ciência, por si só um desperdício de recursos públicos. Objetivamente, quem defendeu ivermerctina como medida de proteção colocou os outros com um colete de pano no meio do tiroteio. Tanto foi assim que, conforme o Lais/UFRN, 75% dos internados graves no RN fizeram uso profilático e/ou precoce da vermífugo. Informação falsa numa crise de saúde pública matou. Quem fala mal de vacinas tenta fazer o mesmo por outras vias.

Depois da tragédia, a farsa. Todos os que endossaram a enganadora saída, agora comemoram números que fizeram de tudo para não se materializar. Aos dito cujos, um aviso – a história é senhora da razão e, apesar dos esforços contrários, não costuma perdoar.

Deixe um Comentário