Bebianno segue o manual da chantagem contra Bolsonaro

BEBIANNO SEGUE O MANUAL DA CHANTAGEM CONTRA BOLSONARO

O ministro Gustavo Bebianno segue o manual da chantagem diante da fritura gratuita que sofreu do presidente Jair Bolsonaro e do seu filho twitteiro.

Ele foi o presidente do PSL e coordenador de campanha de Bolsonaro, partido do presidente por exigência do mesmo, e liberou os recursos para todos os candidatos do país. A folha revelou esquema de candidaturas femininas laranjas na agremiação. Bebianno assinou os repasses, algo que poderia ocorrer com qualquer presidente, e vai cair. O ministro do turismo, que se elegeu como deputado federal fazendo uso da grana, permanecerá no cargo.

Após a deslealdade sem sentido aparente, começou a ameaçar e a esbravejar. Bebianno recusou um baita salário no conselho de Itaipu oferecido pelo presidente. Em torno de 70 mil por mês.

Sabendo da sua provável demissão, abriu fogo. Chamou o presidente de louco e pediu desculpas ao Brasil por ter sido peça central na eleição de Bolsonaro, um lembrete que ele sabe como tudo funcionou.

Agora, ao jornal Folha de São Paulo, nega todas as declarações, diz que foi invenção da imprensa e alega que não vai expor Jair Bolsonaro. Por fim, lembra: “depois de demitido, darei entrevistas à mídia do país”.

Deixe um Comentário