Bolsonarismo em rota de colisão com a direita pró-lava jato

O ator Marcelo Madureira, ferrenho bolsonarista durante o pleito de 2018, foi vaiado ontem (25) num ato pró-lava jato, contra o abuso de autoridade e que também pedia o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal.

Ele disse o óbvio e que só não “acredita” quem pensa que tudo não passa de invenção da mídia: Bolsonaro articulou com o STF o enfraquecimento do Coaf e ataca a autonomia da Polícia Federal. Após a fala em carro de som, a plateia gritou “fora” e “desce daí”.

Nas redes sociais, enquanto eleitores do PSL defendiam Deltan na Procuradoria Geral da República, Eduardo Bolsonaro respondeu ao procurador Deltan Dallagnol, que alegou distanciamento do presidente da agenda anti-corrupção. Para o filho deputado, compartilhando vídeos do “conexão política” e do Olavo de Carvalho, Dallagnol é esquerdista e ligado a Ongs que agem contra o Brasil.

Por mais que uma base social do bolsonarismo, a direita pró-lava jato, feche os olhos para o que acontece, a sucessão dos fatos será implacável. Bolsonaro continuará agindo para blindar o filho, o senador Flávio Bolsonaro. Daí que o distanciamento do bolsonarismo dos defensores de Deltan será inevitável.

Deixe um Comentário