Com série de massacres a partir da facilidade de acesso às armas, Biden faz apelo por leis mais rígidas sobre armas nos Estados Unidos

Do CNN Brasil – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, emitiu um apelo fervoroso nessa quinta-feira (2) por leis mais rígidas sobre armas – incluindo a proibição de “armas de assalto”, leis mais rígidas de verificação de antecedentes e uma idade mínima de compra mais alta – já que uma série de massacres com armas deixou a nação abalada e incitou novas discussões no Capitólio sobre como evitá-los.

Falando do Cross Hall da Casa Branca, onde linhas sombrias de velas foram acesas como pano de fundo, Biden aumentou a pressão sobre o Congresso para agir depois que tiroteios anteriores não conseguiram produzir novas leis significativas.

“Quanto mais carnificina estamos dispostos a aceitar?” Biden perguntou, exigindo que os republicanos em particular cessem seu bloqueio aos votos de controle de armas.

Foi o pedido mais contundente e específico do presidente para o controle de armas desde os recentes tiroteios em massa em Uvalde, Texas, e Buffalo, Nova York.

Em seu discurso, Biden procurou tanto incentivar a ação quanto ameaçar os oponentes das novas leis de armas com a ira dos eleitores, a maioria dos quais apoia algum tipo de nova ação para evitar tiroteios em massa.

Além de restabelecer a proibição de armas de assalto, Biden instou o Congresso a:

  • expandir os requisitos de verificação de antecedentes para compras de armas;
  • criar novas regras para armazenar armas com segurança;
  • promulgar novas leis de “bandeira vermelha” que impediriam a venda de armas para pessoas com antecedentes criminais;
  • revogar a responsabilidade escudos para fabricantes de armas;
  • fornecer mais serviços de saúde mental para estudantes.

Deixe um Comentário