Controladoria-Geral da União expulsa um servidor do serviço público no RN a cada mês

O Rio Grande do Norte teve seis servidores públicos federais expulsos no primeiro semestre de 2018, ou seja, um a cada mês. Em todo o país, foram 300 expulsões. Os dados não incluem os empregados de empresas estatais, a exemplo da Caixa, Correios e Petrobras.

Em 2017, durante todo o ano, foram 12 servidores expulsos no Rio Grande do Norte. Desde o início da série histórica, em 2003, consolidada pela Controladoria-Geral da União (CGU), o RN teve 107 expulsões.

Levantamento nacional

O principal motivo das expulsões em todo o país foi a prática de atos relacionados à corrupção, com 192 das penalidades aplicadas – 64% do total. Já o abandono de cargo, inassiduidade ou acumulação ilícita de cargos são fundamentos que vêm em seguida, com 85 dos casos. As outras razões que mais afastaram servidores foram proceder de forma desidiosa (negligência) e a participação em gerência ou administração de sociedade privada.

Entre os atos relacionados à corrupção estão: valimento do cargo para lograr proveito pessoal; recebimento de propina ou vantagens indevidas; utilização de recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares; improbidade administrativa; lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional.

Deixe um Comentário