Golpista

Alguém tem alguma dúvida de que corremos o mesmo risco no país? De que o presidente Jair Bolsonaro, caso seja derrotado em 2022, também não vai procurar esse tipo de subterfúgio?

Em telefonema, Trump pressiona secretário de estado da Geórgia a ‘encontrar’ 11.780 votos, diz jornal

Do G1

Áudio obtido pelo jornal “The Washington Post” revela que o presidente dos Estados UnidosDonald Trump, em um telefonema extraordinário de uma hora, pediu ao secretário de Estado da Geórgia, o republicano Brad Raffensperger, que “encontrasse” votos suficientes para reverter sua derrota.

A Geórgia é um dos vários Estados decisivos onde Trump perdeu a eleição de 3 de novembro para Joe Biden e onde o presidente desde então fez alegações infundadas de fraude eleitoral e tentou anular os resultados. O estado também irá determinar a maioria no Senado (leia mais abaixo).

O jornal diz que Trump repreendeu Raffensperger alternadamente, tentou bajulá-lo, implorou-lhe para agir e ameaçou-o com vagas consequências criminais se o secretário de Estado se recusasse a prosseguir com suas falsas alegações, a certa altura alertando que Raffensperger estava assumindo “um grande risco”.

Durante a ligação, Raffensperger e o conselheiro geral de seu escritório rejeitaram as afirmações de Trump, explicando que o presidente está contando com teorias conspiratórias desmascaradas e que a vitória do presidente eleito Joe Biden com 11.779 votos na Geórgia foi justa e precisa.

Trump rejeitou seus argumentos. “O povo da Geórgia está com raiva, o povo do país está com raiva”, disse ele. “E não há nada de errado em dizer, você sabe, hum, que você recalculou.” Raffensperger respondeu: “Bem, Sr. Presidente, o desafio que você tem é que os dados que você tem estão errados”.

A Casa Branca não quis comentar. O escritório de Raffensperger não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários do jornal.

Bob Bauer, conselheiro de Biden, emitiu um comunicado a jornalistas sobre o caso, no qual diz o seguinte: “Agora temos provas irrefutáveis de um presidente pressionando e ameaçando um funcionário de seu próprio partido para que ele rescinda uma contagem de votos legal e certificada e fabrique outra em seu lugar. Isso demonstra a essência do vergonhoso ataque de Donald Trump à democracia americana”.

Maioria no Senado

Na terça-feira (5), a Geórgia realiza uma eleição que irá definir a maioria no Senado dos EUA. As duas últimas cadeiras serão definidas e, caso ambas sejam conquistadas por candidatos democratas, os republicanos perdem sua vantagem atual.

A conversa

Trump estava acompanhado pelo chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, e vários advogados, incluindo a advogada conservadora Cleta Mitchell e o advogado Kurt Hilbert da Geórgia. Brad Raffensperger estava acompanhado pelo consultor jurídico de seu gabinete, Ryan Germany, e pelo secretário adjunto de estado Jordan Fuchs.

TRUMP – “Olá Brad e Ryan e todos. Agradecemos o tempo e a ligação. Então, nós gastamos muito tempo nisso e se pudéssemos repassar alguns dos números, acho que está bem claro que ganhamos. Ganhamos muito substancialmente na Geórgia. Você até vê pelo tamanho dos comícios, francamente. Estaríamos recebendo de 25 a 30 mil pessoas por comício e a vantagem seria por menos de 100 pessoas. Nunca fez sentido…

Mas temos várias coisas. Temos pelo menos duas ou três – algo em torno de 250, 300 mil cédulas foram lançadas misteriosamente nas listas… Outro número tremendo são as pessoas que foram votar e foram informadas que não podiam votar porque já haviam votado. E é uma coisa muito triste. Eles saíram reclamando. Mas o número é grande. Teremos para você. Mas é muito mais do que o número de 11.779 – a margem atual é de apenas 11.779… mas tivemos centenas de milhares de cédulas que pudemos, na verdade – vamos dar a você um número bastante preciso. Você não precisa de muito, porque o número que, em teoria, perdi, a margem seria 11.779.

[Trump prossegue por vários minutos falando sobre eleitores que supostamente não estavam na lista, mas votaram, outros que não tinham endereço registrado no estado e teriam votado e eleitores registrados fora do estado e que teriam conseguido votar, além de urnas que demoraram até três dias para serem recolhidas]

E eu sei que você gostaria de ir ao fundo disso, embora eu o tenha visto na televisão hoje e você tenha dito que não encontrou nada de errado. Quer dizer, você sabe, eu não perdi o estado, Brad. As pessoas dizem que foi a votação mais alta de todos os tempos. Não tinha como. Muitos políticos disseram que não tem como me derrotar. E eles me derrotaram. Eles me venceram no… Como você sabe, em todos os estados… nós ganhamos em todos os estados…

[O presidente diz ainda que muitas cédulas foram jogadas fora – mais de 11.779 – e que os votos de perto de 5 mil pessoas mortas foram computados, com a checagem feita através de obituários. Segundo Trump, a soma chegaria a 300 mil cédulas falsas. Além disso, prossegue, cédulas estariam sendo queimadas e destruídas de outras formas e equipamentos das máquinas Dominion, usadas na eleição, estariam sendo removidos e substituídos]

Então é isso. Quer dizer, temos muitas vezes o número de votos necessários para ganhar o estado. E ganhamos o estado e ganhamos de forma muito substancial e fácil e estamos recebendo, temos, muito disso é muito certificado, muito mais certificado do que precisamos”.

RAFFENSPERGER – “Bem, eu ouvi o que o presidente acabou de dizer. Presidente Trump, tivemos vários processos e tivemos que responder em tribunal aos processos e contendas. Hum, não concordamos que o senhor ganhou. E nós não – eu não concordo sobre o número de 200 mil que o senhor mencionou. Vou repassar isso ponto por ponto.

[O secretário explica os procedimentos de contagem e recontagem e como as análises já foram explicadas durante horas ao Senado e à Câmara do estado, assim como em reuniões com congressistas republicanos]

Não acho que haja um problema com isso”.

TRUMP – “Bem, Brad. Não que não haja um problema, porque temos um grande problema com a Dominion em outros estados e talvez no seu. Mas não sentimos que precisávamos ir lá… Você sabe, nós ganhamos o estado. Se você pegou, esses são os números mais mínimos, os números que eu dei a você, esses são números que são certificados, seus votos de ausentes enviados para endereços vagos, seus eleitores de fora do estado, 4.925. Você sabe que quando você os soma, é muito mais vezes, é muitas vezes o número 11.779… Portanto, não podemos dar-lhes bênção. Porque, qual é a diferença entre vencer a eleição por dois votos e vencê-la por meio milhão de votos. Acho que provavelmente ganhei por meio milhão. Você sabe, uma das coisas que aconteceu, Brad, é que temos outras pessoas vindo agora do Alabama e da Carolina do Sul e de outros estados, e eles estão dizendo que é impossível para você ter perdido a Geórgia. Nós ganhamos.

E não há nada de errado em dizer isso, Brad… e o povo da Geórgia está com raiva, o povo do país está com raiva. E não há nada de errado em dizer, você sabe, hum, que você recalculou. Quero dizer, são todos números exatos que foram feitos por escritórios de contabilidade, escritórios de advocacia etc. e mesmo se você cortá-los pela metade, corte-os pela metade e pela metade, de novo, são mais votos do que precisamos”.

RAFFENSPERGER – “Bem, Sr. Presidente, o desafio que você tem é que os dados que você tem estão errados. Conversamos com os congressistas e eles ficaram surpresos.

Mas eles – acho que houve uma pessoa, o Sr. Braynard, que veio a essas reuniões e apresentou dados e disse que havia pessoas mortas, creio que foram mais de 5 mil. O número real era dois. Dois. Duas pessoas mortas que votaram. Então isso está errado”.

[O presidente menciona uma pessoa cujo nome não é audível e foi protegido pelo jornal e a acusa de ter cometido irregularidades, afirmando que em um local de contagem de votos houve um vazamento no encanamento de água que forçou todos a deixarem o local, ocasião em que as urnas teriam ficado sem vigilância. Segundo Trump, essa pessoa, uma mulher, teria aproveitado a oportunidade para cometer fraudes, como computar votos para Biden três vezes. Ao longo do telefonema ele volta a acusar essa mesma pessoa diversas vezes, apesar de Raffensperger afirmar que há filmagens do local naquela data que comprovam que nada irregular aconteceu]

TRUMP – “Eu ganhei esta eleição por centenas de milhares de votos. De jeito nenhum eu perdi a Geórgia. Não tem jeito. Ganhamos por centenas de milhares de votos… você acha que é possível que eles rasgaram cédulas no condado de Fulton? Porque é esse o boato. E também que a Dominion eliminou máquinas. Essa Dominion está realmente se movendo rápido para se livrar de seu, uh, maquinário. Você sabe alguma coisa sobre isso? Porque isso é ilegal, certo?”

E não há nada de errado em dizer isso, Brad… e o povo da Geórgia está com raiva, o povo do país está com raiva. E não há nada de errado em dizer, você sabe, hum, que você recalculou. Quero dizer, são todos números exatos que foram feitos por escritórios de contabilidade, escritórios de advocacia etc. e mesmo se você cortá-los pela metade, corte-os pela metade e pela metade, de novo, são mais votos do que precisamos”.

RAFFENSPERGER – “Bem, Sr. Presidente, o desafio que você tem é que os dados que você tem estão errados. Conversamos com os congressistas e eles ficaram surpresos.

Mas eles – acho que houve uma pessoa, o Sr. Braynard, que veio a essas reuniões e apresentou dados e disse que havia pessoas mortas, creio que foram mais de 5 mil. O número real era dois. Dois. Duas pessoas mortas que votaram. Então isso está errado”.

[O presidente menciona uma pessoa cujo nome não é audível e foi protegido pelo jornal e a acusa de ter cometido irregularidades, afirmando que em um local de contagem de votos houve um vazamento no encanamento de água que forçou todos a deixarem o local, ocasião em que as urnas teriam ficado sem vigilância. Segundo Trump, essa pessoa, uma mulher, teria aproveitado a oportunidade para cometer fraudes, como computar votos para Biden três vezes. Ao longo do telefonema ele volta a acusar essa mesma pessoa diversas vezes, apesar de Raffensperger afirmar que há filmagens do local naquela data que comprovam que nada irregular aconteceu]

TRUMP – “Eu ganhei esta eleição por centenas de milhares de votos. De jeito nenhum eu perdi a Geórgia. Não tem jeito. Ganhamos por centenas de milhares de votos… você acha que é possível que eles rasgaram cédulas no condado de Fulton? Porque é esse o boato. E também que a Dominion eliminou máquinas. Essa Dominion está realmente se movendo rápido para se livrar de seu, uh, maquinário. Você sabe alguma coisa sobre isso? Porque isso é ilegal, certo?”

Deixe um Comentário