O dever de casa que a prefeitura de Mossoró não fez para contratar os shows do Mossoró Cidade Junina

O ministério público do RN entrou com ação pedindo o cancelamento dos shows de Wesley Safadão e Xandy sob a alegação de que não é possível gastar um milhão de reais, valor dos dois cachês, enquanto que Mossoró carece de professores para educação especial nas escolas.

Os membros do MP fazem o seu papel entendendo o que seria a defesa do direito da sociedade que defende. Ainda que o pleito deles não seja atendido, eles conseguiram chamar atenção para o problema.

Já a prefeitura de Mossoró dormiu no ponto. Uma festa como a Mossoró Cidade Junina merece um estudo de viabilidade econômica, até para justificar tais cachês. Ao que tudo indica, o escopo do projeto é feito na base do puro feeling. Daí que a prefeitura, ao invés de emitir nota à imprensa, poderia agora dizer como objetivamente o evento gera retorno para a cidade. Faltou fazer o dever de casa, deve este que se fará cada vez mais presente com a polêmica envolvendo Zé Neto e Gustavo Lima, que receberam pagamentos para shows milionários de prefeituras em que faltar tudo é a regra.

Com a evolução do tratamento da questão está claro que não adianta salto retórico. É preciso números bem fundamentados para que uma prefeitura invista dinheiro público em festas. Fica o aprendizado.

Deixe um Comentário