O “fechamento” do hospital Ruy Pereira é a fake news da semana da rede bolsonarista no RN

O fechamento do hospital Ruy Pereira ocorreu em Agosto de 2019. Por qual razão? Porque ele não tinha condições físicas de uso, conforme parecer técnico do corpo de bombeiro, e os leitos foram remanejados para outras unidades hospitalares do estado, após pactuação com diversas autoridades públicas.

Leia, por exemplo, a longa matéria sobre o assunto veiculada pela Tribuna do Norte de fevereiro de 2020 aqui. Apesar da pressão pela manutenção do aluguel milionário, já que o prédio é de propriedade de um ex-governador do RN ainda influente, o assunto foi vencido há quase dois anos.

Porém, não mais do que de repente, agora as redes e imprensa bolsonarista alegam que o governo “fechou 100 leitos” em “plena pandemia”. Ora, me desculpa propagadores que nem ficam de bochecha rosada de vergonha, mas não tem outra expressão mais adequada. Trata-se de uma escancarada mentira.

Este blogueiro tem alertado. A nossa crise é também de debate. Caro leitor, só na semana passada os pontos de pauta foram:

  1. O combustível aumentou em decorrência do ICMS, um imposto que está congelado no RN desde 2015, enquanto a petrobrás, quem de fato controla a política de preços, eleva o valor nas refinarias toda semana;
  2. O governo Bolsonaro mandou 18 bilhões para o enfrentamento da pandemia no RN. Ocorre que o orçamento total do governo do RN é de 13 bilhões. Como chegou a esta conta falsa? Bolsonaro somou todos os repasses obrigatórios ao Estado e dos 167 municípios do RN, aposentadorias, benefícios, tudo que é arrecadado pela União, mas de propriedade de Estados, Prefeituras e Cidadãos, conforme reza a constituição;
  3. E, por fim, que é só tomar ivermectina e cloroquina para acabar com a pandemia. Ora, a Anvisa, a OMS, as 11 autoridades sanitárias que o Brasil segue no mundo (agências de saúde dos EUA, da Alemanha, etc), as principais revistas científicas do mundo, cientistas, estudos randomizados padrão ouro, etc, já demonstraram que tais panaceias não têm efeito. Por isso não se toma no mundo. Natal, inclusive, em que toda população se encheu de ivermectina, tem hoje a pior situação do RN e exporta doentes para os demais hospitais do estado.

Tais espalhadores e criadores de fake news não esticam mais a verdade em prol dos seus interesses e pontos de vista. Se acostumaram, ao invés disso, a construir, viver e impor aos demais uma realidade falsa paralela.

Enquanto isso, os verdadeiros problemas do Rio Grande do Norte não são devidamente encaminhados e debatidos.

Deixe uma resposta