O método

Enquanto se fala sobre a declaração de Eduardo Bolsonaro defendendo um novo ato ditatorial ato institucional número 05, não se pergunta o porquê da mulher de Roni Lessa, principal suspeito pela morte de Marielle Franco, ter ido à guarita do condomínio mexer nos arquivos de entrada e saída e depois avisado ao Queiroz, conforme foi encontrado no celular dela pela polícia. Queiroz já deveria ter sido alvo de uma preventiva. MPRJ nitidamente prevaricando.

Deixe um Comentário