O que é nova política?

O QUE É “NOVA POLÍTICA”?

Diante de insatisfações legítimas dos eleitores, inventaram uma fuleiragem chamada de “nova política” em contraposição a um espantalho, que seria a “velha política”.

Cabe dizer, contra a falsa dicotomia, que a política nunca envelhece. Como ambiente competitivo, ela está sempre se transformando e se adequando às necessidades impostas pelos eleitores. A reflexividade hipertrofiada é seu fazer cotidiano.

Mas se ela sempre se adequa por que a insatisfação? Pela razão das outras esferas da sociedade utilizarem a política como bode expiatório. A prática é recorrente. Mas, de tempos em tempos – como um pêndulo -, a ação ganha dramaticidade.

Por sorte, este período logo passará. E, quando isto ocorrer, ficará claro o engodo que representou o papo da “nova política”, retórica que nos foi enfiada goela abaixo por gente autoritária, irresponsável e incapaz de produzir consensos em torno da resolução de problemas públicos de relevo.

(Não acredito em pós-política, esse nome bonito pós-moderno forjado para atacar aquilo que Max Weber chamava da ética da responsabilidade.)

A nova política é a vitória da forma, o êxito de afirmações aparentemente impactantes, mas vazias nas redes sociais. Que apela para o ressentimento das pessoas.

No RN, por exemplo, elegeram um representante com histórico de fracasso nas diversas secretarias que administrou e hoje, se dizendo contra tudo que está aí, vive a falar sobre lava toga, urna eletrônica fraudada, foro de São Paulo e ditadura. É incrível como nada de concreto é mencionado pelo dito cujo para as terras de poti. Coisas velhas do tipo: geração de emprego e renda ou ampliação de serviços públicos.

A “nova política” é a que oculta, às vezes, a falta de propostas concretas. O que essas pessoas pensam e têm a dizer sobre desenvolvimento, desigualdade ou educação? Até agora absolutamente nada.

E, em outras oportunidades, uma agenda inconfessável não é posta como se deve na mesa. Que sistema é esse que dizem querer derrubar? Até agora, o que tornou possível a gente evoluir – para melhor – até aqui.

Deixe um Comentário