Avatar

E daí?

/

Chamar Maduro de ditador pode fortalecer grupos políticos de direita, me falam. E daí? Ele deixará de ser um ditador por conta disto ou seu regime de exceção se justifica?

Já ocorreu um golpe de direita na Venezuela nos tempos de Chaves. É verdade. Mas e daí? Isto apaga ou justifica o regime de exceção de Maduro?

O passado venezuelano conheceu inclusão social. É verdade. Mas e daí? Liberdades políticas podem ser suprimidas, o caos econômico pode ser instalado e os críticos do governo violentados por conta disto?

Ah, mas aqui no Brasil Temer, um presidente atolado em corrupção, está contra Maduro. E daí? A ditadura de Maduro se torna nobre por esta oposição?

Ah, os tucanos são contrários ao regime de Maduro. E daí? Se assim se posicionam, ponto para eles.

Ah, os EUA querem a queda de Maduro. E daí? A morte de manifestantes passa a ter validade, então? Não só eles querem a queda, mas vários outros países. E ainda que nenhum quisesse, não deixaria de ser ditadura…

A esquerda brasileira, preocupada em polarizar com Temer e tucanos, endossou uma eleição (sic) em que o governo não tem como perder. E daí? Se assim procedeu, tergiversou diante de uma ditadura. Isto diz mais sobre quem apoia Maduro do que sobre o que acontece na Venezuela.

Em Baraúna, Robinson anuncia nova edição do Microcrédito e inauguração de Restaurante Popular e Café Cidadão

/

Durante realização do Vila Cidadã em Baraúna, na manhã desta sexta-feira (28), o governador Robinson Faria confirmou que a cidade receberá a 33ª unidade do Restaurante Popular e a 7ª unidade do Café do Cidadão, todas ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado do Trabalho, Habitação e Assistência Social.  No evento, o chefe do Executivo estadual foi acompanhado pela secretária da Sethas, Julianne Faria, dos deputados estaduais José Dias e Jacó Jácome, de auxiliares da administração direta e indireta, vereadores de Baraúna e ex-prefeitos da região Oeste.

A edição do Vila Cidadã foi a 18ª desde 2015. O evento possibilita à população acesso a diversos serviços oferecidos pelo Governo do RN por meio da Defensoria Pública, ITEP, Sine, Agência de Fomento, entre outros. Através da ação a população pode dar entrada em documentos como carteira de identidade e a carteira do artesão. Também pode se submeter a testes rápidos de HIV e verificar pressão arterial.  Nesta edição, a ouvidoria da Segurança Pública também esteve presente para recebimento de denúncias, reclamações, sugestões sobre a Segurança no RN. O Vila Cidadã é um projeto do Governo do RN, coordenado pela Sethas-RN, que presta serviços diretamente à população.

Até agora, o Vila Cidadã já atendeu 38 mil pessoas em cinco bairros de Natal e em 12 municípios do estado. Nesta edição, a ouvidoria da Segurança Pública também estará presente para recebimento de denúncias, reclamações, sugestões sobre a Segurança no RN.

Cidade terá abatedouro e nova estrada

No evento, o governador destacou pleitos da população que já estão sendo atendidos, como a construção do abatedouro público, aumento do efetivo da Polícia Militar e a finalização de um projeto próprio, em fase de licitação, para a implantação e pavimentação de uma rodovia em Baraúna, na via conhecida como Estrada do Melão. A obra terá 19 km de extensão e a estimativa de investimento é de R$ 26 milhões, via Governo Cidadão.

Robinson Faria também destacou que ainda neste ano o Programa Microcrédito do Empreendedor beneficiará novamente Baraúna, e lembrou de outras ações. “O Microcrédito já chegou em Baraúna no ano passado, com 350 cheques, e agora vamos entregar mais 500. Também no município, mil famílias que são atendidas pelo Programa do Leite terão, depois de anos de espera, o abatedouro público.

Essas não são promessas, são compromissos que assumi com o povo e que estou cumprindo”, garantiu o governador, dizendo que adutora do Juremal, um investimento de R$ 6 milhões, será construída para regularizar de vez o abastecimento de água na cidade, atendendo também as localidades de Campestre, Juremal, Vertentes, Assentamento e Primavera.

A titular da Sethas, Julianne Faria, reforçou a importância da realização do Vila Cidadã fora da capital, e fez um breve histórico dos investimentos no município.

“O nosso dever como gestores é levar o governo para os que mais precisam e evitar grandes deslocamentos para realizar ações simples, como fazer a carteira de identidade. Este também é um momento de fazer uma prestação de contas porque vocês pediram e nós trouxemos o Vila Cidadã, o Café Cidadão e o Restaurante Popular”, projetou a secretária.

Segurança alimentar

Em Baraúna, a 7ª unidade do Café Cidadão será inaugurada oficialmente no próximo dia 7 de agosto, no prédio da Guaíba. Atualmente, a ação serve cerca de mil refeições matinais ao valor de R$ 0,50 por pessoa. A 33ª unidade do Restaurante Popular ainda será licitada. Quando aberta, oferecerá almoços ao preço de R$ 1 real cada.  Os dois programas são importantes ações que garantem a segurança alimentar para a população mais carente.

Guerra sobre responsabilidade por buracos pode eclipsar “Natal 100% saneada”

/

Há uma guerra de narrativa sobre os danos nas avenidas de Natal em que a Prefeitura do Natal e seus defensores têm partido para o ataque contra o governo do RN. As vias do município, vale mencionar, são de responsabilidade da Prefeitura do Natal. Porém, na versão em curso os buracos nas ruas de Natal acontecem pelas obras de saneamento básico feitas pela Caern.

Um vereador da base do Prefeito espalhou outdoors pela cidade, dizendo que a Caern acabou com as ruas de Natal. O secretário de obras, em entrevista a uma rádio, disse que a prefeitura iria implementar uma operação tapa buracos, pois que a caern estava fazendo intervenções pelo município. Formadores de opinião pró-Cea batem na mesma tecla.

Bem, as ideias têm poder. É através delas que olhamos e classificamos o mundo. Os buracos causados pela falta de manutenção e em consequência das chuvas estão entrando na conta injustamente do governo, mas a acusação vem passando sem contraponto. É uma postura grave com a verossímil consequência: o fato de Natal se tornar a primeira capital totalmente saneada do país será eclipsado pela aceitação passiva do revés que é imposto pela Prefeitura ao autor da realização.

Foto: Tribuna do Norte

Polícia Federal aponta falhas nas delações da Odebrecht

/

POR FOLHAPRESS

A Polícia Federal identificou falhas nas delações da Odebrecht que, em sua avaliação, dificultam e comprometem as investigações das informações passadas à Procuradoria-Geral da República.

Investigadores da PF que cuidam dos casos que estão no Supremo Tribunal Federal destacam, entre outras coisas, um exagero no número de delatores, a mudança de versão por parte de alguns deles e o fato de até hoje não terem acesso aos sistemas que embasaram as planilhas de repasses de dinheiro, caixa dois ou propina, a parlamentares.

Em relatórios parciais públicos e internos, policiais apontam outros problemas, como a ausência de documentos que comprovem as narrativas dos colaboradores.

Outro ponto criticado é que parte do material apresentado já fora apreendido em fases da Lava Jato. Além disso, alguns dos supostos crimes já estariam prescritos.

Após a investigação da PF, caberá à PGR tomar decisões sobre possíveis denúncias contra os implicados. As delações envolvem oito ministros, 39 deputados e 24 senadores.

A PF e a Procuradoria têm divergido, desde o início da operação, em relação ao formato de delação premiada, tema que virou até ação no Supremo, por autoria do procurador-geral, Rodrigo Janot.

Segundo a Folha apurou com pessoas envolvidas na investigação policial, haverá uma série de manifestações da PF contrárias à concessão de benefícios dada pela PGR aos delatores por falta de eficácia dos relatos.

Um exemplo ocorreu recentemente no caso do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado– a polícia entendeu que, em razão de falta de provas das acusações que fez contra políticos do PMDB, o executivo não deve ser merecedor dos benefícios acordados.

A decisão final sobre a pena dos colaboradores será definida pelo juiz de cada processo. Há casos que ficaram no STF e outros que seguiram para outras instâncias.

Em uma só leva, 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht assinaram colaborações em dezembro de 2016, homologadas pelo STF em janeiro. Como consequência, a pedido da PGR, o Supremo autorizou a abertura de mais de 70 inquéritos.

No ano passado, pela expectativa do que poderiam revelar os funcionários, deu-se o nome de “delação do fim mundo” para o acordo.

Para a polícia, o número de delatores deveria ter se restringido a no máximo seis executivos –entre eles, Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, Hilberto Mascarenhas, chefe do setor de propina, e Benedicto Júnior, que comandou a Odebrecht Infraestrutura, por terem efetivamente colaborado.

CASOS CONCRETOS

A PF tem o ex-relações institucionais da empreiteira Claudio Melo Filho como um dos exemplos de delator que mudou de versão. À PGR em dezembro ele contou, entre várias histórias, sobre contribuições ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL) e ao hoje governador de Alagoas, Renan Filho, em 2010 e 2014.

Disse que, apesar de terem sido doações declaradas, poderiam ser entendidas como contrapartidas à atuação em favor da Odebrecht.

Uma das solicitações, em 2014, foi após uma reunião para tratar de assuntos de interesse da Braskem, braço petroquímico do grupo baiano.

“[O pedido de doação do senador] Foi atendido porque a gente estava ali para fazer um pedido para ele e na hora que vem um pedido de volta para cá, é de bom tom para o que você está pedindo tentar equacionar o outro lado”, declarou Melo Filho.

Em 9 de junho deste ano, novo depoimento do ex-diretor gerou interpretação contrária na PF. “Que para o declarante a doação foi realmente uma doação eleitoral e não pagamento de propina”, consta no termo do depoimento do delator à PF, sobre o repasse a Renan de 2010. “Que Renan não condicionou a sua atuação política à retribuição financeira da Braskem”, sobre a doação realizada em 2014.

A PF vai pedir nesta semana para ter acesso ao Drousys e ao MyWebDay, programas utilizados pelo Setor de Operações Estruturadas, a área de pagamento de propina da empreiteira, para realizar perícia e checar os dados declarados e as datas em que foram inseridos.

A PF se deparou, na investigação sobre o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), com o fato de a doação ter acontecido antes dos sistemas internos existirem, o que levou a uma dúvida sobre qual teria sido o momento de inserção dos dados.

O ex-diretor de relações institucionais Alexandrino Alencar afirmou não ter informações sobre isso e que só recebeu a planilha de repasses no período em que a Odebrecht negociava a colaboração.
Sobre a ausência de documentos, um dos exemplos é o da investigação sobre a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

“Os colaboradores não trouxeram informações, até o momento, que possam indicar a forma como se deu o pagamento do valor que teria sido alcançado a investigada para financiar sua campanha”, consta em relatório da PF. Alencar prometeu procurar novos documentos para ajudar a investigação.

OUTRO LADO

Em nota enviada para a reportagem, a Procuradoria-Geral da República afirmou “desconhecer a opinião da Polícia Federal sobre supostas falhas”.

“O atual estágio das investigações em decorrência das colaborações dos executivos da Odebrecht não permite ainda fazer juízo definitivo sobre a eficácia dos acordos, por estarem em apuração. Essa análise caberá, em momento devido, ao Judiciário”.

A PGR afirmou que recente decisão do Supremo Tribunal Federal conferiu “segurança jurídica aos acordos e garantiu-se o princípio da confiança dos órgãos do Estado que se comprometem com colaboradores da Justiça a conceder premiações, para que se possa desbaratar a organização criminosa”.

O órgão escreveu ainda que a investigação policial deve ser feita “em harmonia” com a estratégia do Ministério Público, “pois caberá ao órgão acusador [PGR] decidir sobre a propositura da ação penal e tudo que for ligado a ela até o final do julgamento”.

A Odebrecht, por sua vez, afirmou que “está colaborando com as autoridades no esclarecimento de todos os fatos por ela revelados, e reafirma o seu compromisso com a verdade e com uma atuação ética, íntegra e transparente, no Brasil e em todos os países nos quais atua”.

O texto diz também que “a efetividade da colaboração da empresa foi reconhecida não apenas pelo Ministério Público, mas por autoridades de outros países –Suíça, Equador, República Dominicana e Estados Unidos. No Brasil, a colaboração tem também o reconhecimento do Judiciário, como demonstram, por exemplo, decisões recentes do juiz Sergio Moro”.

Rodrigo Mudrovitsch, advogado de Claudio Melo Filho, disse que não existiu mudança na narrativa e que o cliente, como delator, “possui irrestrito propósito de colaborar com as investigações decorrentes do material probatório por ele disponibilizado”.

“A literalidade dos depoimentos prestados comprova isso, até porque todas as suas manifestações refletem a verdade dos fatos de conhecimento do colaborador”.

Folha procurou a assessoria da Polícia Federal, mas não obteve resposta.

RN ultrapassa 1400 homicídios em 2017

/

Do Blog do BG – Na madrugada de sábado o Rio Grande do Norte ultrapassou a marca dos 1400 homicídios em 2017. O OBVIO que faz o trabalho deste monitoramento diariamente atualizou os números que detalha onde aconteceu cada crime desses:

 

Governo Temer afirma ter votos para barrar denúncia

/

Em reunião na noite deste domingo, 30, no Palácio do Alvorada, o presidente, ministros e lideres traçaram a estratégia para a semana na qual está marcada a sessão que pode apreciar a denúncia no Plenário. Após o encontro, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse ao Broadcast Político que o governo continua “com a convicção” que tem os votos necessários, e defende que quem tem que colocar os 342 votos necessários para dar quórum é a oposição e disse que a ideia do governo é continuar trabalhando independente da denúncia ser apreciada ou não.

Padilha, que costuma ter placares certeiros nas votações do Congresso, diz que ainda não é o momento de falar em números. “Ainda prefiro não falar em números, os lideres estão verificando, mas certamente temos os votos necessários”, reforçou. A contabilidade do governo dá, hoje, pelo menos 260 votos garantidos pela rejeição da denúncia.

“O que esta em vigor hoje é o parecer da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) que rejeitou a denúncia. Se a oposição boicotar e não quiser dar quórum no dia 2, nós vamos defender que o presidente Rodrigo Maia toque a pauta da Câmara independente da pendência deste assunto ou não”, afirmou.

O presidente Michel Temer não esconde aos auxiliares que sua vontade é que a denúncia seja logo rejeitada. Apesar disso, o ministro da Casa Civil reafirmou que a base está “pronta para votar a qualquer hora”. “Mas precisamos também tocar a pauta, são coisas diferentes”, disse.

Na reunião, Temer pediu aos líderes partidários que intensificassem as conversas para tentar reverter votos e para garantir a presença de parlamentares no dia da votação na Câmara, na quarta-feira, 2.

ESTADÃO CONTEÚDO

 

Eduardo Cunha promete delatar pelo menos 80 deputados, diz revista

/

O deputado cassado Eduardo Cunha está prestes a firmar acordo de delação premiada com a Procuradora-Geral da República. De acordo com a coluna Radar Online, da revista Veja, Cunha entregou à PGR um calhamaço com aproximadamente oitenta anexos. Os arquivos fazem parte do ‘cardápio’ que promete contar em seus depoimentos.

A publicação destaca que o material inclui informações sobre cerca de oitenta deputados. No entanto, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, devolveu o script.

A informação é de que Janot teria certeza de que Cunha está protegendo aliados, sobretudo políticos do Rio de Janeiro.

 

 

Fonte: Notícias ao Minuto

Partido PODEMOS é lançado oficialmente no RN e busca confiança popular

/

O Partido Podemos (PODE) realizou, durante a manhã desse sábado, seu encontro estadual, no Átrios Recepções, em Natal. O evento contou com a participação do senador Álvaro Dias, da presidente nacional do partido, deputada federal Renata Abreu, do vice presidente nacional, deputado federal Antônio Jácome, o deputado federal Ricardo Teobaldo, o deputado estadual Jacó e Jácome, o governador Robinson Faria,  além de diversos representantes políticos e lideranças do estado.

Antônio Jácome iniciou o encontro falando sobre as ações democráticas do PODEMOS, destacando os pilares ideológicos do partido: a democracia direta, a participação popular e a transparência. A ideia central é dar voz à população através da participação virtual em que o cidadão pode interagir, votar e sugerir projetos de lei para seu representante político.

A presidente nacional falou sobre a importância do engajamento da sociedade. ” A mudança no Brasil não é na omissão é na participação. Somos nós que temos o poder de mudar o nosso país. Nós cidadãos brasileiros temos a obrigação de lutar e não tem como pensar no futuro sem pensar nas novas gerações”, concluiu.

“Nossa prioridade tem que ser estar onde estão as necessidade da nossa gente. Nós temos que eleger prioridades e trabalhar de maneira direcionada. Os brasileiros não fracassaram, fracassaram os que assaltaram os cofres públicos deste país”, ressaltou o senador Alvaro Dias.

Presidente municipal do PODEMOS em Natal, o vereador Eriko Jácome ressaltou a  importância de se recuperar a confiança nos representantes do povo.  ” Podemos mudar esse quadro de descrença na política com ações” , completou.

Prestes a assumir, Ney quer manter imagem positiva conquistada da CMN

/

Do PORTAL AGORA RN

A partir das 10h desta segunda-feira 31, a Câmara Municipal de Natal tem novo presidente: o vereador Ney Lopes Jr. (PSD). Ney assume interinamente após Raniere Barbosa (PDT), que teve seu nome citado pelo Ministério Público em investigações da chamada “Operação Cidade Luz, ser afastado por ordem judicial. Em entrevista ao Portal Agora RN, Ney Lopes Jr. contou que sua filosofia de trabalho como chefe do Legislativo municipal será dar continuidade à manutenção da imagem positiva conquistada pela Câmara ao longo dos seis primeiros meses de gestão de Raniere.

“A minha gestão, que não posso precisar o tempo de duração, será para manter essa imagem positiva da Câmara de Natal que construímos nos últimos seis meses, e conto com a ajuda de todos os vereadores”, disse o vereador, que não acredita que as investigações do MPRN tenham respingado na Casa. “Politicamente, a Câmara não foi atingida, diante do fato que o vereador e presidente, Raniere Barbosa, foi afastado por ações supostamente cometidas enquanto ele estava no exercício da Semsur. Então, a Casa não foi atingida nem no seu conceito e nem nos seus vereadores”.

Muito embora tome posse como presidente, Ney admite que ainda precisa conhecer o âmbito administrativo da Câmara. Conversar com os diretores do parlamento será sua primeira medida após tomar posse. “Vou me reunir com a direção da Casa para saber quais são os processos em andamento – tanto de forma administrativa, quanto politicamente falando. Isso precisa acontecer para que eu tome pé da situação; preciso saber a situação da Câmara hoje, principalmente administrativamente falando. Os diretores da Câmara, como o diretor-geral e o financeiro, vão me passar quais são a reais situações da Câmara para que possamos iniciar a gestão”.

A expectativa de Ney para o segundo semestre na Câmara é que os parlamentares deem início à votação de projetos importantes para Natal, sobretudo na questão do Plano Diretor, que completou dez anos em 2017 e está em vias de ser revisado. “Já estava previsto à apreciação do Plano Diretor, vou ouvir o que o prefeito Carlos Eduardo tem a dizer, mas a decisão será minha, juntamente aos colegas vereadores. Pela manhã, já falei com o prefeito, e tão logo tome posse na Câmara, o prefeito me chamará para uma audiência, porque ele pretende mandar mensagens para a Câmara. Vamos definir quais serão os projetos a serem votados, e quais serão colocados na ordem do dia. Regimentalmente, esta é uma prerrogativa do presidente”, explica.

Expectativa é que mandato de Raniere venha a ser restituído na CMN pela justiça

/

O Potiguar conversou com advogados que acompanham o caso da operação cidade luz, além de membros do judiciário potiguar. E, após a soltura de todos os presos provisórios, a expectativa é que o mandato de Raniere Barbosa venha a ser restituído. Raniere foi afastado da presidência da câmara municipal do Natal. Seu advogado de defesa, Kennedy Diogenes, alegou que entrará com mandado de segurança hoje (28) para reverter a decisão porque não há provas contra o seu cliente. Como me disse um membro experiente do mundo togado, “a não ser que não apareça um fato novo, com os documentos apreendidos, será a tendência natural”.