Polícia x política?

A polícia é uma instituição fundamental e tem pessoas que trabalham com zelo e desprendimento. A monopolização do uso da violência legítima pelo Estado foi um passo imprescindível para nos tirar da tradição e nos colocar na modernidade (arbitrar conflitos, prender alguém dentro de determinadas regras quando este comete um crime, restituir algo a alguém que foi roubado por terceiro, etc).

Mas a valorização da polícia não pode ser pensada como saída para os nossos dilemas políticos. Defender polícia sem o controle do estado de direito é sinônimo de produzir um Estado que emprega a violência, mas agora sem qualquer legitimidade e contra o cidadão.

Muita gente esperta, aproveitando o sinal dos tempos, está colocando como se o único jeito de demonstrar respeito pelos policiais, pelo seu esforço e por suas instituições fosse lhes dando um passe livre para agir sem nenhuma lei. Ora, isto não será nada bom para policiais e não policiais.

A tentativa de por a polícia no lugar do debate, da demacracia e de representantes eleitos pelo voto merece, sem qualquer enrolação, a alcunha de um chamego perigoso com o fascismo.

Deixe um Comentário