Se tiverem coerência, críticos de Jean Paul Prates e Zenaide no caso da votação do ICMS dos combustíveis pedirão desculpas aos senadores

Circulou um ataque contra os senadores Jean Paul Prates e Zenaide Mais, dizendo que eles tinham votado contra o povo no caso do ICMS dos combustíveis. Publiquei no blog que a crítica iria se voltar contra quem a fez. Achei que seria questão de tempo. Só não imaginava que o tempo seria tão curto.

A alegação dos dois é clara. Limitar o ICMS dos estados tirará recursos do Fundeb e do SUS, para manter a política de preços da petrobrás. Conforme matéria recém publicada pelo portal UOL, a pretolífera brasileira garante a maior taxa de lucro do mundo do setor. E pior: sem diminuir o valor da gasolina e do diesel, pois o corte não será integralmente repassado e, além disso, novos aumentos previstos engolirão o próprio desconto inicial.

Não deu outra. Mal o projeto foi aprovado, retirando receitas da saúde, da educação e da segurança pública dos estados e a petrobrás já anunciou novo aumento. A coisa será como promoção da black friday – será pela metade do dobro.

Quem acreditou em ouro de tolo, se tiver coerência, deveria vir a público refazer sua argumentação e pedir desculpas aos senadores, que estavam certos em suas preocupações.

Deixe um Comentário