Sem testes, base para o planejamento, Teich cita uma janela de 90 dias – entre Maio e Julho – para falar em pico da pandemia

Em entrevista concedida ontem (5) à imprensa, o ministro da saúde Nelson Teich previu que o pico da pandemia de covid-19 deve ocorrer entre Maio e Julho, ou seja, estabeleceu uma janela de 90 dias. Na prática, demonstrou o seguinte: não faz a menor ideia de quando isso ocorrerá.

Por que estamos no escuro? Porque a base de dados do ministério da saúde inexiste. Sem testes, não há como criar qualquer tipo de indicador minimamente confiável. Além da falta do insumo fundamental, carência que não ocorre em países pobres como o nosso como Argentina e Colômbia, Teich admitiu que não sabe quantos testes foram aplicados no país, não sabe quantos testes foram aplicados pelos laboratórios privados.

A testagem por habitante é base para o planejamento da evolução da pandemia nas demais nações. Quem aplicou exames maciçamento, conseguiu isolar os casos e rapidamente afrouxar o isolamento social ou até prescindiu de tal política. Aqui, repito, não fazemos testes praticamente e não sabemos os poucos que foram aplicados.

Diante de tal cenário, ficarmos à mercê de projeções matemáticas extremamente precárias porque até mesmo a projeção tem ponto de partido meramente especulativo.

Deixe um Comentário