Um precedente que precisa acabar

Um precedente foi aberto pela gestão de Robinson Faria e mantido pela atual administração: o diálogo separado com os servidores da polícia militar em detrimento das demais categorias. Tal lógica é fomentadora de ressentimento e de uma quebra de planejamento constante. E mais: não está dado que gere uma solução política satisfatória.

O Governo do RN concedeu aumento parcelado aos policiais militares. As demais categorias, no entanto, não tiveram outra perspectiva. Porém, com a brecha, os policiais civis também ameaçaram com paralisações. Eis que agora conseguiram acordo para elevação dos seus vencimentos a partir de 2020.

A fila deverá ser incrementada. Outros grupos de funcionários irão para cima do governo até que obtenham aumentos. Não trata-se de dizer que não mereçam. Mas de procurar saber como as contas públicas ficam?

A governadora precisa compreender: pior do que enfrentar servidores será quebrar a relação pacificadora de pagar os salários sempre dentro do mês trabalhado.

Deixe um Comentário