(In)coerência

(In)coerência

Fico rindo. Nesse clima de fla-flu, em que as pessoas só leem o título das matérias e formam opinião (sic), os mesmos cidadãos metem o pau na decisão da AL-RN, que restituiu o mandato de Ricardo Motta, e atacam abertamente à Lava Jato por fundamentar ações apenas em delações.

A coisa funciona assim: bateu no meu “lado”, eu critico as arbitrariedades. Bateu no outro? Muito massa. Que continue assim.

Para quem não sabe, um aviso por questão de coerência: Ricardo Motta foi afastado a partir da delação de uma pessoa com atestado técnico de insanidade mental.

E a restituição do seu mandato não significa que ele deixará de ser investigado. Só que a presunção de inocência e os votos que obteve – aliás, foi o mais votado do RN em 2014 – devem ser respeitados.

Deixe uma resposta