Moro antecipou no twitter informação sobre hackers depois confirmada pela imprensa

Há muitos elementos não explicados em torno da operação que prendeu os hackers de Araraquara. Não, não entrarei nas muitas teorias conspiratórias que circulam pela internet. Apenas cabe lembrar que jornais deram espaço para a tese do hacker russo, inclusive O Globo. Piada pronta.

A sinuca de bico tem íntima relação com o seguinte aspecto: como a polícia federal chegou aos hackers, teve acesso aos smartphones – o que foi negado por membros da Lava Jato – e não foi possível atestar a veracidade do conteúdo? A questão ganha força diante da alegação de um dos investigados de que foi o responsável por entregar ao site The Intercept os diálogos publicados por juízes e procuradores da Lava Jato.

Apesar do jornal Estadão de hoje (25) enfatizar que a informação é tratada com ceticismo pela Polícia Federal, Moro ontem (24) usou seu twitter para fazer a ligação entre o hacker preso e o conteúdo publicado pelo site que compromete sua imparcialidade quando na condição de juiz federal. Ele parece ter esquecido que não deveria ser ele o responsável a noticiar – e na forma como fez – o dado, se a PF tem sua própria institucionalidade e a afirmação do suspeito ainda se encontrar sob escrutínio policial.

O ministro diz que a investigação é autônoma, mas ele já antecipava uma informação depois confirmada pelo Estadão. É preciso colocar os dois pés atrás diante de uma operação que demonstra ter como líder um dos maiores interessados na desqualificação de conteúdo no mínimo embaraçoso.

Aliás, diante do que já foi escrito acima, acredito que o próximo passo do ministro será o de criar os subterfúgios para contestação das mensagens trocadas pelos membros da Lava Jato. Até porque há muita ponta solta na história e ele tratará de fechar tudo sem perder de vista seus interesses.

Deixe uma resposta