O debate sobre sexo turismo em Natal, a “mãozada” e a frase de Bolsonaro

Tentando entender como (eu sei, meu quê de espanto é meio retórico) uma cidade como Natal, que até certo tempo atrás, produziu quase que uma histeria contra os “turistas que vinham mexer com nossas mulheres”, agora fica de boa com as frases de Bolsonaro sobre sexo turismo. É um moralismo estranho.

Lembram do candidato a prefeito de Natal, com votação estrondosa, que prometeu meter a “mãozada” nos turistas que mexessem com “nossas mulheres”?!

Era um tempo em que parte dos natalenses alegava que ponta Negra havia sido tomada pela prostituição e por turistas sedentos por sexo. “Não havia mais espaço para a família”. A pauta gravitava nos jornais e na câmara municipal do Natal. Um pesquisador português chegou a ser enquadrado como persona non grata pela CMN por propor um outro olhar sobre a questão do mercado do sexo.

Como os ditos formadores de opinião desta cidade, que tanto já falaram sobre sexo turismo, convivem bem com a frase dita pelo presidente Jair Bolsonaro: “quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade”?!

Por tudo que Natal já passou a respeito do assunto, com propagandas internacionais saídas daqui – depois, com razão óbvia, bastante condenadas – com dunas, buggys e bundas de mulheres, imaginava outra reação acerca do tema pela taba.

Deixe uma resposta