O nó da crise do RN e o que nos trouxe até aqui

Todo mundo tenta fulanizar. Faz parte. Porém, penso que há questões mais pertinentes no quesito crise fiscal do RN.

Por exemplo: me expliquem por que supermercados já bem consolidados devem receber incentivos fiscais estaduais? Os benefícios fiscais são concedidos aos mais indistintos setores da economia.

Comer é importante. Óbvio. Portanto, se supermercados pararem de receber incentivos fiscais estaduais os norte riograndenses deixarão de comprar comida? Estamos em condições de negar essa e outras fontes de arrecadação?

Os supermercados que usufruem de incentivos e deixam de pagar impostos repassam isso para o consumidor?

O Estado deixar de arrecadar impostos de supermercados traz o que de positivo?

O supermercado produz novas tecnologias, além de vender feijão, arroz e carne? Movimenta mais setores? E deixaria de movimentá-los, caso parasse de receber incentivos?

Penso que quem, de fato, procura uma solução para crise e quer fazer uma crítica com algum viés de construção deve se centrar nessa e outras questões. O resto é a ladainha de sempre que nos trouxe até aqui.

Deixe uma resposta