O que é da polarização e o que não é

Dizer que o processo de Lula foi injusto não é se render a um dos lados de uma polarização política, é simplesmente falar a verdade. Tem gente usando o papo da polarização para não falar verdades que são inconvenientes para terceiros ou para a própria bolha. Uma fuga retórica.

Comparar o bolsonarismo com o petismo é uma maneira de igualar os inimigos a partir de falsa simetria. O PT no poder não tentou asfixiar a imprensa como Bolsonaro vem fazendo em apenas nove meses de administração. E nunca ocorreu a defesa de ato ditatorial.

E mais: com Sérgio Moro controlando a polícia federal e Augusto Aras na retaguarda bolsonarista na procuradoria geral da república, uma Lava Jato jamais acontecerá no quintal da atual gestão como no passado. Não por ausência de corrupção, mas pelo amansamento dos órgãos de controle.

Por fim, a falsa tese da polarização serve aos que imaginam crescer como “centro democrático”, em especial os grupos ligados ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e ao dito presidenciável Luciano Huck. Estes até agora sofrem com um problema: falta de voto.

A polarização é da sociedade hoje em que há a concorrência de dois projetos de poder. Quem segue fora dela, sobretudo por carência de base social mas com condições de manejar o debate, procura meios para contorná-la. É da política.

Deixe uma resposta