Possibilidade de justificar a ausência pelo telefone trará mudança significativa para a eleição, pesquisas e estratégia dos candidatos

Se o app lançado pelo Tribunal Superior Eleitoral – e-título – vingar até a eleição, com a possibilidade de justificar a ausência pelo telefone, será fundamental saber quem perderá mais eleitores. É possível que o revés seja geral, se anulando na prática entre os postulantes. Mas as pesquisas agora devem contemplar o ponto, cruzando intenção de voto dos candidatos com a pergunta sobre se, com a facilidade, o eleitor do pleiteante sairá de casa para sufragar sua escolha.

Explico: antes, para justificar a ausência, era preciso ir até um ponto de votação, se deslocar. Caso não justificasse, depois teria de pagar uma pequena multa numa agência dos correios. Daí que, se era preciso sair de casa, que fosse para votar mesmo. Agora, não. Do celular mesmo será possível justificar a falta. A nossa obrigatoriedade de ir até a urna já não tinha penalidade elevada. Agora, ela caiu a quase zero.

Portanto, com os custos da obrigatoriedade de votar extremamente baixos e a facilidade de justificar, será preciso também reforçar a propaganda dos candidatos no quesito mobilização para que o eleitor vá de fato votar. Não estamos diante de uma pequena alteração eleitoral e estratégica.

Deixe uma resposta