UFRN terá que dar explicações sobre criação da disciplina “golpe de 2016”

Do blog do bg – A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte Angêla Paiva terá de prestar explicações sobre a criação da disciplina denominada “Golpe de 2016 e o futuro do Brasil” que seria ministrado na especialização em Ciências Sociais. A 5ª vara federal do Rio Grande do Norte determinou que a universidade se manifeste em cinco dias sobre a concessão de liminar para que o curso seja suspenso.

O pedido foi feito em uma ação popular movida pelo ativista político do MBL em Natal, Jaime Groff, que solicitou à justiça federal que o curso seja suspenso até o julgamento do processo. Na petição, o ativista alega que a temática do curso tem natureza política e se utiliza, indevidamente, do patrimônio público para distorcer os fatos que levaram o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef.

“É uma vergonha que esse tipo de coisa ainda esteja acontecendo. O uso da sala de aula da universidade para formação de militância política, paga com dinheiro público, demonstra a contaminação ideológica do magistério Potiguar”, disse o autor da ação, Jaime Groff, que também é filiado ao Partido Novo e pré-candidato a deputado federal pelo RN.

Após a análise da resposta, o magistrado encarregado do caso vai analisar o pedido de liminar, podendo suspender o curso criado pelo programa de pós-graduação em Ciências Sociais da URFN até o julgamento final do processo. O prazo para a reitora entregar as explicações acaba nesta quinta (22).

Deixe uma resposta